Publicidade

Leia também...

UMA BREVE DISCUSSÃO SOBRE A FRAGILIDADE TEÓRICA NO CAMPO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Artigo de Ricardo da Costa Nunes & Selene Peres Peres Nunes publicado na Repad - Revista Estudos e Pesquisas em Administração Vol. 2, N. 1, Abril/2018

Para acessar o arquivo clique aqui e baixe-o no formato PDF

RESUMO

O trabalho analisa as fragilidades teóricas, metodológicas e conceituais que acarreta a transposição de diferentes teorias de todos os campos interdisciplinares para a Administração Pública. As disputas acirradas pela hegemonia, travadas por diferentes escolas de pensamento econômico, são amplificadas porque o campo da Administração Pública recebe essas disputas sem que os autores identifiquem claramente os pressupostos e as implicações de cada teoria adotada, atribuindo ao fenômeno a escolha teórica, quando esta deveria decorrer de uma concepção de como o mundo funciona, com suas dimensões econômica e política. As disputas entre as teorias também fazem com que não haja um paradigma estabelecido, o que transporta conflitos para as aplicações. A contribuição do estudo é mostrar que a adoção de teorias incompatíveis gera uma fragilidade que não será superada pela maior qualificação dos profissionais, pois as contradições teóricas persistirão até que um paradigma seja escolhido, o que se torna difícil devido à rivalidade das teorias transpostas.

#fragilidadedaAdministraçãoPública #transposiçãodeteorias #conflitosepistemológicosnasciênciassociais #paradigma #hegemonia

Publicidade